Ainda não havíamos falado sobre nosso passeio pelo Vale Sagrado durante nossa viagem para o Peru, talvez tenhamos deixado bem pra o finalzinho da lista dos posts sobre essa viagem porque foi muito especial, um lugar que realmente nos deixou impressionados por toda história e cultura envolvidas.

Em nosso roteiro de viagem pelo Peru reservamos 3 dias exclusivamente para o Vale Sagrado, queríamos conhecer o máximo possível da região que traz toda tradição do povo Inca mostrando toda sua genialidade em termos de sobrevivência, espiritualidade e sabedoria.

Contratamos os passeios com um único guia e dividimos os dias de acordo com as distâncias e altitudes de cada lugar, porque essa última pesa e muito para nós que moramos ao nível no mar.

Sobre o Vale Sagrado

Os passeios feitos às ruínas incas que estão nos roteiros de todos os turistas não são apenas pelo Vale Sagrado, a região assim chamada vai de Pisaq a Machu Picchu numa distância de mais de 100km de um extremo a outro. As demais ruínas visitadas não fazem parte do Vale Sagrado e sim do Império Inca que se extendeu a partir de Cusco.

Roteiro pelo Vale Sagrado no Peru

A arquitetura Inca utilizou todo o conhecimento que tinha para se beneficiar da melhor forma possível do que a natureza oferecia, os projetos de seus monumentos eram em função das necessidades práticas que precisavam como também eram projetados baseados nos símbolos e crenças que deveriam representar. Tudo tem um significado prático, espiritual, místico mas tudo funcional.

O universo era visto como um todo que precisava estar em harmonia com a magia, com os poderes da natureza e do desejo para criar laços vitais e invisíveis e isso é visto e sentido através das obras que estão no Vale Sagrado e arredores de Cusco, que no idioma quíchua qosqo significa ‘o umbigo do mundo’.

Os incas tiraram proveito das formas naturais das montanha e planícies do Peru construindo terraços, observatórios astronômicos, plataformas cerimoniais, canais, fontes de água e tudo mais que precisaram para que os lugares tivessem suas características associadas aos protótipos celestes identificados com estrelas e constelações no céu, já que eles tinham uma relação muito forte com a Via Láctea.

O visual geral do Vale Sagrado e das ruínas incas formam um todo quando vistos de lugares altos, são totalmente integrados às montanhas e planícies onde foram construídos. Voltamos encantados com a cultura Inca, é impressionante o conhecimento que eles tinham tantos anos atrás, o mesmo aconteceu quando estivemos em Cozumel e visitamos as ruínas de San Gervásio.

HOTÉIS COM MELHOR PREÇO E AINDA CANCELAMENTO GRATUITO

No Booking.com você encontra as melhores opções de hotéis com garantia do melhor preço e ainda com opção de cancelamento gratuito. Use nosso link e garanta sua reserva.

Nosso roteiro pelo Vale Sagrado e ruínas Incas

Comentamos que nosso roteiro pelo Vale Sagrado havia sido dividido em 3 dias, mas na verdade não foi bem assim considerando as informações que só tivemos através de nosso guia quando estávamos em Cusco.

Nossos passeios às ruínas incas e ao Vale Sagrado levaram na verdade 4 dias porque Machu Picchu também faz parte dele.

Ficou assim:

Vale Sagrado + ruínas parte 1 – Mirante de Taray, Pisac, Tambomachay, Pucapucara, Sacsayhuaman e Qenqo. (essas 4 últimas não ficam no vale).

Machu Picchu

Vale Sagrado parte 2 – Chinchero, Salinas de Maras, Moray e Ollantaytambo.

Ruínas + Capela Sisitina das Américas – Tipon, Andahuaylillas e Pikillacta/ Rumicolca.

Quando pedimos o orçamento para o guia, a ordem que havíamos imaginado era outra, mas chegando lá ele nos orientou a fazermos assim para irmos nos acostumando com a altitude e achamos que foi uma ótima opção realmente.

Vamos falar dos lugares em separado, cada um tem uma particularidade, características e importância na civilização Inca. O visual é maravilhoso em todos eles, voltamos cheios de fotos na câmera e nos celulares, a natureza é impressionante no Peru e os Incas fizeram um belo trabalho por lá dando um significado a cada lugar e aproveitando tudo o que a natureza tinha a oferecer.

Aqui vamos mostrar o primeiro dia desses passeios porque é muita informação e não queremos um post muito longo, o outro será com os outros 2 dias e por último o de Machu Picchu que merece um post único.

Mas antes uma breve explicação sobre o Vale Sagrado que só conseguimos entender depois que conhecemos.

Vale Sagrado – parte 1

Mirante de Taray

Vale Sagrado no Peru

Fica a poucos minutos de Cusco, quando estávamos chegando Ray avisou logo para prepararmos a câmera que estávamos chegando a uma das vistas mais lindas do Vale Sagrado. Estava fazendo um lindo dia de sol mas o vento era bem gelado para nós que moramos no Nordeste e estamos acostumados com altas temperaturas. Estávamos preparados para isso e descemos do carro lá no alto dos 3.415m de altitude para vermos a paisagem do vale que se extendia lá embaixo.

Vista do Vale Sagrado do mirante de Taray

⇒ Leia também Mala de inverno leve e compacta para uma viagem de 8 dias

O mirante também é chamado de Vale do Urubamba. O Rio Vilcanota ou Rio Sagrado que passa lá embaixo também é chamado de Rio Urubamba. Dá pra imaginar a importância do rio para toda a população do Vale Sagrado.

O rio que fica numa região privilegiada pela qualidade de suas terras e condições climáticas tem grande importância na economia da região além de proporcionar paisagens dignas de cartões-postais ao longo de seu percurso. No mirante o passeio se restringe apenas a uma breve parada para fotos e de lá seguirmos viagem para o próximo destino, mas não deixe de parar, vale a pena demais.

Pisaq

A estrada para chegar a Pisaq é bem sinuosa, cheia de curvas nos 32km separam a cidade de Cusco. Compramos nossos boleto turísticos na entrada do parque. Esse boleto é único, dá acesso aos parque e algumas atrações em Cusco. Pode ser comprado nas entradas de alguns parques ou no posto de informações em Cusco. Optamos por comprá-lo no parque para não perdermos tempo em Cusco.

Chegando em Pisaq estacionamos o carro e seguimos. Pelo caminho até a entrada ambulantes vendendo milho cozido, água e artesanato. Entramos e Ray foi nos explicando sobre o que foi Pisaq para o povo Inca.

Pisaq no Vale Sagrado

Ambulantes em Pisaq no Vale Sagrado

Pisaq no Vale Sagrado

São mais de 300 espécies de milho na região

Pisaq é formada por vários espaços separados, foi construído sobre uma montanha e em algumas beiradas de abismos. A forma de um condor gigante é vista no conjunto formado por terraços e construções que foram insultados harmoniosamente à encosta. Vê-se a silhueta do pássaro prestes a alçar voo e representa também a constelação de mesmo nome.

Pisaq Vale Sagrado dos Incas

O fato de se alimentar de carniça levou os povos Incas e identificarem o pássaro como o espírito guardião dos mortos e da paz dos lugares sagrados. Em Pisaq existem dois cemitérios que simbolizem esse ser mítico com a crença de que ele levaria em suas asas os espíritos dos antepassados de volta aos locais de origem.

Pisaq no Vale Sagrado no Peru

Nessa montanha a nossa frente fica um dos cemitérios

Ainda tem o bairro de Intihuatana com nichos, altares, construções de muros, fontes de água e uma plataforma cerimonial onde acredita-se que ficava a sede da administração que supervisionava a produção agrícola que era abundante em Pisaq.

Pisaq

Os terraços agrícolas são um caso à parte em Pisaq, imaginar o que os Incas desenvolveram naquele lugar na época é impressionante. Para superar os problemas de abastecimento de água, erosão e variação climática, eles construíram degraus- chamados de terraços – compostos por diferentes camadas de terra agrícola, cascalhos e pedras em lugares onde a incidência de geadas e ventos fortes é menor e da forma como fizeram, conseguiram receber uma irradiação solar maior.

Pisaq no Vale Sagrado

Vista de Pisaq no Vale Sagrado

Esses terraços mais os demais de todo o vale ocupam uma área aproximada de 65 hectares. Pisaq é um lugar muito especial, fica a 3.448m de altitude. No dia que fomos estava co céu limpo e o sol esquentou ao longo da manhã.

A cidade de Pisaq atrai muitos devotos e turistas aos domingos para a feira e missa quíchua na igreja colonial San Pedro Apostál.

CHIP PRÉ-PAGO COM PLANO DE DADOS EM MAIS DE 140 PAÍSES COM FRETE GRÁTIS

Saia do Brasil com chip com o plano de dados já no seu celular. Compre aqui e use o código Cantinhodena para ter FRETE GRÁTIS.

Tambomachay – a primeira ruína Inca do nosso roteiro fora do Vale Sagrado

Fica no caminho de volta para Cusco, são pouco mais de 10km até a cidade. É um dos 92 santuários com mananciais e fontes de água que circundam a cidade de Cusco. Seu nome é Quinnua Puquio hoje conhecido como Tambomachay.

Chegando a Tambomachay a caminho do Vale Sagrado

Tambomachay no passeio pelo Vale Sagrado

A civilização Inca ficou conhecida também como a única que desenvolveu uma pecuária em massa na América e para isso precisou maximizar o máximo possível o uso dos recursos naturais mais escassos, um deles a água. Entendiam que os mananciais e lagos não eram apenas onde residiam os poderes protetores da vidas, mas também eram origens das linhagens e para isso desenvolveram sistemas de aquedutos, fontes, reservatórios e canais para a sobrevivência dos habitantes.

Tambomachay era também um lugar de descanso para o líder do império Inca. A entrada está incluída no boleto turístico.

Tambomachay no caminhos para o Vale Sagrado

Puca Pucara

Em frente à Tambomachay fica Puca Pucara – que provavelmente seu nome original tenha sido Caynaconga, outro sítio arqueológico que significa Forte Avermelhado. Era onde se fazia o controle de acesso de homens e produtos até a sagrada cidade de Cusco.

Puca Pucara no caminho para o Vale Sagrado

Produtos como folhas de coca, pimenta, aja, mandioca, plantas medicinais e penas de ouro já serviram como pagamento para acesso à cidade de Cusco através de Puca Pucara. Segundo o cronista Polo (1571), o lugar era como “casa e moradia dos deuses; em que não havia fonte, nem acesso, nem predique não possuísse mistério”.

Puca Pucara Vale Sagrado no Peru

Vale Sagrado no Peru

ALUGUEL DE CARRO PARCELADO EM ATÉ 12X NO CARTÃO OU DESCONTO DE 5% NO BOLETO

No site da RentCars, você pode alugar um carro e pagar parcelado em reais ou se preferir, ter 5% de desconto para pagamento via boleto.

Sacsayhuaman

É um tipo de forte com imensas pedras interligadas, diz-se que apenas uma delas pode chegar a 360 toneladas.  O nome significa testa franzida no idioma antigo da cidade. Conhecida também como Fortaleza, Casa do Sol das Armas e da Guerra, além de Templo de Oração e Sacrifícios, o monumento foi construído no topo da montanha onde segundo a tradição moram os espíritos tutelares para mostrar de maneira visível o signo que representou a cabeça de seu império ou a fonte do poder sobre humano.

Sacsayhuaman Vale Sagrado no Peru

É o maior dos templos Incas, um verdadeiro altar à natureza e ao espírito religioso do homem. Segundo o estudioso do assunto Garcilaso “a maior obra que os Incas mandaram construir para mostrar seu poder e sua majestade, foi à fortaleza de Cusco, cuja grandeza é incrível para quem não a viu e para quem tem visto e observado com atenção faz você imaginar e ainda acreditar que são feitas através de encantamento ou que as fizeram os demônios e não os homens”.

São 3 baluartes que representam a testa franzida de um puma que fica no topo da montanha sob o qual seu corpo agachado se projeta. Era a parte antiga da cidade de Cusco. Blocos poligonais e peças artísticas de ciclópicos formam o visual do monumento.

Sacsayhuaman perto de Cusco

Sacsuayhuaman perto de Cusco

Vale Sagrado no Peru

A partir de 1537 começou a ser destruído e em 1559 uma parte foi desmontada para construir com seus blocos a catedral de Cusco. No dia 24 de junho acontece a Festa do Sol – Inti Raymi – que é a maior de todas as celebrações Incas. São desfiles e cerimônias especiais no dia do solstício de inverno.

Qenqo

Bem pertinho de Sacsayhuaman fica Qenqo. São planos, formas e modulações que deixam seus símbolos secretos e misteriosos. O sapo é representado por uma rocha, ele estaria esperando as águas da chuva no centro visual sobre um pedestal ao redor do qual se abre um espaço semicircular.

Qenqo Vale Sagrado no Peru

Cusco vista de Qenqo

Cusco vista de Qenqo

Segundo os agricultores, o animal tem como características biológicas mostrar a evolução e tendências do clima, como anunciar e propiciar as chuvas. Atualmente na língua das comunidades tradicionais, os sapos grandes são chamados de Pachacuti (Volta ao Mundo) que também está associada às mudanças resultantes dos desastres naturais provocados pela abundância ou escassez de água.

Em uma entrada que mais parece uma caverna, encontra-se uma mesa onde se supõe que eram feitos os rituais de mumificação, isso deve-se aos restos de lhamas e humanos achados no local. É uma espécie de mesa com um tipo de altar.

Qenqo perto de Cusco

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto usando nosso código CANTINHODENA5

Faça uma cotação do seu seguro viagem para viajar tranquilo e será apresentada uma lista com várias opções para você escolher a que melhor se encaixa às suas necessidades

Essas duas últimas ruínas Incas ficam bem perto de Cusco, dá pra ir a pé, a ladeira para chegar é bem íngreme, mas tem que prefira até para ir se acostumando com a altitude.

E assim foi nosso primeiro dia de passeios pelo Vale Sagrado e algumas ruínas Incas. Adoramos as paisagens que vimos e tudo o que aprendemos. O passeio dura boa parte do dia, é cansativo pela questão da altitude e pelo fato de subirmos escadas e ladeiras montanhas acima, mas vale a pena demais. O calor chegou depois do meio-dia mas nada que incomodasse muito. Chegamos em Cusco por volta das 16h, o guia nos deixou na Plaza de Armas onde fomos procurar um lugar para comer.

⇒ Em Pisaq e Tambomachay tem banheiros na entrada.

Como dá pra perceber, recebemos muita informação durante o passeio, é muita história vivida em cada lugar e o guia tem um prazer enorme em contar os detalhes. Além das informações que recebemos dele, há outras aqui que retiramos de um livro que compramos durante a viagem sobre Cusco e o Vale Sagrado dos Incas, adoramos saber mais a respeito dessa civilização que deixou tantos ensinamentos.

No próximo post falaremos sobre os outros sítios arqueológicos e ruínas que visitamos em 2 dias de passeios.

Para salvar no Pinterest

Vale Sagrado roteiro

E para acompanhar nossas viagens, nos siga no Facebook,  Instagramtwitter,  YouTube, Pinterest e no Google+.

Para programar sua viagem, veja o que você pode fazer sem sair aqui do blog

Reservar hotel pelo Booking;  Comprar seu seguro viagem com a Seguros PromoAlugar seu carro com a RentCars; Comprar seu chip pré-pago para os EUA e Europa na Easy Sim 4U e fazer câmbio na MelhorCâmbio.