Há um bom tempo que não abrimos mão de levar o celular com chip pré-pago em nossas viagens. Já passamos por algumas experiências em alguns lugares, conto aqui como foi em Buenos Aires, durante uma viagem aos EUA compramos um direto na AT&T e não funcionou bem e agora vou relatar como foi nossa experiência com um chip pré-pago nos EUA em nossa última viagem em família. Roteiro dessa viagem aqui.

Quando fomos para Las Vegas e Los Angeles numa viagem que fizemos em grupo (aqui como essa viagem começou) levamos um chip que compramos na CelTravel. Soube que essa empresa deixou de operar. O chip que levamos funcionou bem, compramos um pré-pago com ligações ilimitadas dentro dos EUA e acesso de dados. A velocidade era razoável e o sinal bom. Um dos casais que estavam no grupo comprou um que, além desses serviços, tinha ligações para o Brasil. Pagamos R$ 119,00 e com ligações para o Brasil R$ 145,00.

Durante os preparativos dessa viagem em família, vi uma postagem de uma pessoa que eu sigo no Instagram que estava nos EUA. Ela comentou sobre a satisfação em estar usando um chip da Travel Mobile, anotei o nome da empresa e entrei no site dela para ver como funcionava.

Gostei das opções oferecidas e resolvi comprar.

O primeiro passo é comprar o chip, escolhemos o tipo adequado para nossos celulares e pagamos com cartão de crédito. O chip custa U$ 25.  Feito isso é aguardar chegar pelos Correios.

Quando chegaram, vieram em envelopes separados e cada um com um código junto com um passo-a-passo de como fazer para escolhermos o plano, além dos valores cobrados para fazermos ligações para o Brasil.

chip-pre-pago-nos-EUA2

Entrei no site novamente e escolhi o Ptel unlimeted 50 (U$ 50), teríamos: ligações ilimitadas dentro dos EUA, um crédito de U$ 5 para ligações internacionais, internet com os primeiros 2GB em alta velocidade (3G/4G) e mensagens de texto ilimitadas. Coloquei os códigos de cada chip e a data que começariam a funcionar, paguei no cartão de crédito e feito isso era só aguardar receber os números.

Eles aconselham colocarmos a data de habilitação pelo menos 1 dia antes da viagem porque é nessa data que recebemos por email o número que iremos utilizar na viagem. Eu não havia prestado atenção nisso e quando escolhi o plano do primeiro chip, coloquei exatamente a data de nossa viagem, mas quando fui fazer o procedimento com o segundo percebi o que tinha feito. Terminei o processo e resolvi enviar um email solicitando alteração na data de habilitação do primeiro chip. Logo recebi retorno confirmando que a data seria alterada.

Um dia antes de nossa viagem recebi os números que usaríamos nos EUA.

Assim que chegamos em Miami colocamos o chip e pronto, estávamos com acesso à internet e com linha para ligarmos dentro do país.

Durante os 18 dias de viagem ficamos totalmente satisfeitos com a velocidade e acesso à rede. Em pouquíssimos lugares, como dentro de alguns metrôs por exemplo, não conseguíamos sinal.

O chip vale por 30 dias, caso não seja recarregado perde a validade.

Na próxima viagem com certeza usaremos os mesmos serviços.