Fazia tempo que eu não escrevia sobre filmes, continuo indo ao cinema pelo menos 1 vez por semana mas é tanta coisa no dia-a-dia que o tempo pra vir aqui nessa categoria escrever fica curto…Bom, ontem fomos assistir a Minha mãe é uma peça. Havíamos visto o trailer algumas vezes em semanas anteriores e ficamos curiosos em ver. Fui assistir Universidade dos monstros com os meninos na segunda-feira à tarde, olhei os horários das sessões do nacional e pensei em voltar à noite com Ricardo pra assistirmos. Voltamos mas as 2 noturnas estavam lotadas, tomamos um sorvete, andamos um pouco conversando e voltamos pra casa, mas a vontade aumentou mais ainda!

E ontem conseguimos um horário legal…

Eu conhecia o trabalho de Paulo Gustavo, que é protagonista e roteirista do filme, como cabeleireiro de Lília Cabral em Divã, lembram? Depois disso vi alguma coisa aqui e ali na TV e no 220 Volts no Multishow, programa que ele faz, como stand-up e show de comédia em geral não são meus programas favoritos não fiquei fã a ponto de acompanhar seus trabalhos, mas nesse filme ele dá um show! Fala tanto e com tanta rapidez que dá cansaço só em ouvir, mas a interpretação e naturalidade impostas ao texto prendem o espectador do primeiro ao último minuto do filme. Até Ingrid Guimarães que pra mim é uma das melhores atrizes de humor da atualidade fica escondidinha, apesar de que o papel dela não é dos principais. Paulo Gustavo conseguiu fazer o melhor filme nacional de comédia dos últimos tempos. 

Quem ainda não viu corre pra o cinema, rende muitas risadas e ainda nos mostra uma realidade do cotidiano das famílias, não usa palavrões rasgados e ainda deixa uma mensagem bem legal do papel de nós mães nas vidas de nossos filhos.

Ah, quando começarem os créditos não saiam logo, 1 minutinho depois tem uma cena rápida que mostra de onde veio a inspiração dele pra o filme. Fica a dica!